Dos EUA para o Brasil: desfrute do nosso peru

Cheers, Brazileiros! Hoje este artigo está gentilmente cedido para mim, Mark Nutt, designado secretário extraordinary de media para Brazil, estado número 51 de America.

Brazil, the Amazon State! Welcome to the USA.

Talvez você não realizou, mas seu belo nação teve a honor de tomar parte de USA esta semana, depois da Thirthy Minutes’ War. Foi um brief conflito que tomou lugar enquanto você assistia “A Fazenda” última noite. Ninguém se feriu, todo bem na Guerra de Meia Hora.

Em sumário: Brazileiro leader Bolsonaro poked o jaguar com uma demasiado curta vara. Nosso military marchou south of border para apreender pólvora, mas só encontrou no warehouse de Fogos Caramuru. Nice fireworks, folks: o celebração Novo Ano’s será grande.

Como America não tem time to lose, decidimos to seize o territory como um todo. Lucky you, Brazileiros, que agora podem celebrar Thanksgiving no rainforest de Salvador de Bahia –the best of both worlds!

Thanksgiving, no próximo dia 26, está a mais importante Americana festival. Em Thanksgiving, nós agradecemos as boas coisas que vêm em nosso caminho. Brazileiros de costa a costa podem louvar o blessing de juntar America no abençoado ano de 2020.

Comida é um grande acordo em Thanksgiving. Therefore escolhi uma culinary coluna para me endereçar ao povo do Amazon State.

O star da mesa de Thanksgiving é o peru. Peru é um muito grande pássaro, thus difícil de assar até perfeitamente mole e molhado. Um duro, seco peru pode arruinar um Thanksgiving celebração.

O Thanksgiving peru não é Thanksgiving peru sem stuffing e gravy. Stuffing quer significar recheio, mas vai fora do peru para fazer coisas mais fáceis. Gravy é um morno, marrom molho que você põe em topo da carne de ave. Simplesmente delicious.

A começar de Thanksgiving, Brazileiros must incorporar culinários tradições de America em ordem para se tornar citizens plenamente emplumados.

Brazil é lar de rica gastronomia (eu aprecio caipirinha muito), mas algum ajustamento precisa estar feito. O presidente-elected José Biden me pôs em cargo de publicar os seguintes executive orders:

  1. Business hotels são proibidos de cozinhar hot-dogs para café da manhã. Good golly, sausage é o que vocês chamam linguiça. Ninguém usa Google neste buraco de fezes?
  2. Milho e ervilha don’t belong in hamburgers. Crime sujeito a pena de impalement. Beware, gaúchos.
  3. Ketchup está um grande Americano condimento, mas não faz sentido sobre pizza. Ketchup em topo de pizza agora é felony.

Sou certo vocês vão breve preencher requisitos para cheia Americana cidadania, com um pouco transitórias restrições –tal como a halt na emissão de visa para viagem aos Estados Unidos mainland, suspended até 2031 por sanitários razões.

Isso é tudo por agora, queridos Americanos de Brazil.

Tenham um happy Thanksgiving. Desfrutem do peru.

(Siga e curta a Cozinha Bruta nas redes sociais.  Acompanhe os posts do Instagram, do Facebook  e do Twitter.)

 

publicado primeiro em Cozinha Bruta https://ift.tt/35wDUOO

Napoli Centrale assa pizzas de respeito em corredor do Mercadão de Pinheiros

No tradicional Mercadão de Pinheiros, que já virou um ponto de atração não só de paulistanos mas também quem está em visita  à capital, o Achado ELO  é a pizzaria Napoli Centrale.

Conta aqui a experiência de comer nos corredores, entre os boxes do espaço público, boas pedidas como a clássica margherita e a pizza de abobrinha assada com queijo de cabra e tomatinho. E fique ligado: na Napoli Centrale se faz com na Itália: come-se com as mãos. Nada de talheres, ok?.

As pedidas da pizzaria de balcão: tradição napolitanaClayton Vieira/ELO/Divulgação

Napoli Centrale
Rua Pedro Cristi, 89 (Mercado Municipal de Pinheiros), boxes 83 e 84, Pinheiros, tel. 3031-1689

+ Para saber mais sobre Achados ELO, clique aqui.

 

Continua após a publicidade

texto original em Comida & Bebida – VEJA SÃO PAULO https://ift.tt/3nkQRkE

Saboreie pratos de restaurantes estrelados sem sair de casa

Pelo quarto ano consecutivo, o festival gastronômico Menu VEJA COMER & BEBER, realizado em parceria com Santander, reúne restaurantes estrelados em São Paulo e no Rio de Janeiro. Na capital paulista, a edição de 2020 acontece exclusivamente na versão delivery, de 14 de novembro a 3 de dezembro, reunindo diversos endereços avaliados criteriosamente pelas equipes de gastronomia do guia anual VEJA COMER & BEBER. 

Entre eles estão Varanda Grill, Forneria San Paolo, Supra di Mauro Maia, Antonietta Cucina, Aizomê, Basilicata e Spot. Os estabelecimentos elaboraram um cardápio exclusivo composto de entrada, prato principal e sobremesa a preços fixos: R$ 60 no almoço, de segunda a sexta-feira, e R$ 120 no jantar e no almoço aos fins de semana.* 

Os clientes Santander têm um benefício extra: 5% de desconto** no pagamento com o cartão do banco na maquininha Getnet ou com Ben Visa Vale*** em estabelecimentos habilitados. Essa é mais uma iniciativa do Santander para firmar-se como o #bancodagastronomia, atendendo consumidores e empreendedores do setor gastronômico, que experimenta uma bem-vinda retomada. Entre os produtos e iniciativas para os donos de bares e restaurantes está a possibilidade de concentrar o recebimento das vendas com cartões na máquina da Getnet com a Conta Integrada, além de descontos na contratação de serviços e facilidades no acesso ao crédito.

“Dentro de nossa proposta de apoiar inovações empreendedoras e culturais, enxergamos a gastronomia como uma grande forma de expressão de nosso povo, além de representar uma cadeia geradora de empregos e renda”, diz Patricia Audi, vice-presidente executiva de Comunicação, Marketing, Relações Institucionais e Sustentabilidade do Santander Brasil. “E neste momento queremos apoiar quem sempre nos serviu pratos incríveis, feitos com muito carinho, e manter a cadeia de restaurantes ativa.” 

Reserve já o seu Menu VEJA COMER & BEBER e bom apetite!

 

* Não estão incluídas nesses valores as despesas com o serviço de entrega em domicílio. O raio de entrega é determinado por cada restaurante.

** Promoção válida para até dois Menus pagos no mesmo cartão. Consulte os horários, as bebidas disponíveis e outros detalhes da promoção nos estabelecimentos participantes.

*** Consulte os estabelecimentos participantes que aceitam o Ben Visa Vale como meio de pagamento no site benvisavale.com.br ou app.

Continua após a publicidade

texto original em Comida & Bebida – VEJA SÃO PAULO https://ift.tt/36B8lT4

Bela biografia

Seguida por milhões de pessoas que admiram seu conceito de cozinha natural, orgânica e de verdade, Bela Gil está prestes a inaugurar seu primeiro restaurante

Mãe, feminista, chef, nutricionista, apresentadora, ativista, escritora, influenciadora e com formação especializada MD em Gastronomia. E não para por aí. Com milhões de fãs e admiradores do seu trabalho na área da culinária vegana, natural e alternativa, Bela Gil consagrou-se como uma dos principais chefs brasileiros admirados e respeitados nacional e internacionalmente.
Em seu vasto currículo, a chef tem experiência como apresentadora de alguns programas televisivos sobre alimentação, é uma relevante influenciadora digital com milhões de seguidores nas suas redes sociais, escritora de livros sobre maternidade e cozinha, ativista das causas alimentar, animal e ambiental, palestrante, mestra e ainda garota-propaganda de produtos que levam seu nome e seu conceito de se alimentar de forma natural e saudável.
Bela biografia“Eu escolhi a cozinha, não foi ela que me escolheu. Quando eu era pequena, entrava na cozinha só por brincadeira, sem muitas intenções de cozinhar alguma coisa. Quando me interessei por nutrição, já na adolescência, eu decidi aprender a cozinhar para ter mais autonomia na cozinha. O ato de cozinhar se tornou uma necessidade para mim que procurava ter uma alimentação mais saudável do que eu conseguiria encontrar fora de casa. E assim eu me apaixonei por culinária e tudo que a envolve: seus impactos sociais, médicos e ambientais. Sinto-me muito feliz com essa profissão”, conta Bela Gil a respeito de como se deu o início e a ideia de atuar na gastronomia.
Já na fase adulta, em sua trajetória acadêmica, especializou-se em alimentação e nutrição holística, cursando Nutrição Ayurveda pelo Ayurveda Center of New York, Iridologia pelo New York Center for Iridology, Macrobiótica pelo Centro Internacional de Auto-Educação Vitalícia (CIAEV), Permacultura, Agroecologia, e tornou-se chef de cozinha pelo Natural Gourmet Institute of New York.
A chef é mestra em Ciências Gastronômicas pela Universidade de Ciências Gastronômicas da Itália (Unisg), com ênfase no sistema global da alimentação. É bacharelada em nutrição pela faculdade de Nutrição e Ciência dos Alimentos Hunter College da Universidade City of New York.
Atualmente, é vice-presidente do Instituto Brasil Orgânico (IBO), apresentadora, chef de cozinha natural, escritora, ativista e professora convidada do programa de pós-graduação online da PUC-RS e da Casa da Medicina da PUC-Rio.
“Meu primeiro trabalho como cozinheira foi ainda na cidade de Nova York, onde cozinhava para amigos. Depois estagiei em dois restaurantes também de Nova York e dava aulas de culinária e nutrição em casa. Quando voltei ao Brasil, já estava com o programa na televisão chamado Bela Cozinha. Eu também fiz consultoria de cardápios para alguns cafés e restaurantes no Brasil”, complementa.
Bela é sucesso de audiência como apresentadora do canal GNT. Nos seus programas, Bela Cozinha, Vida mais Bela, Refazenda e Bela Raízes, abre espaço para celebridades, pequenos produtores e especialistas em alimentação natural. O também famoso chef de cozinha Jamie Oliver foi o convidado de uma das edições especiais, com quem conversou, trocou conhecimento e apresentou algumas de suas receitas nutritivas.
Com mais de dois milhões e setecentos mil seguidores em suas redes sociais, 1,5 milhão só no Instagram até o fechamento desta edição, Bela estreita ainda mais a relação com o seu público através do “Canal da Bela”, no YouTube.
“Lá são abordados todos os temas ligados à vida saudável, consumo consciente, maternidade… E é claro, comida de verdade!”
Na plataforma do Curseria, ministra um curso online em que ensina sobre a alimentação saudável. Isso tudo também reflete em ser citada em diversas mídias de comunicação, como em revistas, jornais, sites etc.
“Eu fico muito feliz de saber que muitas pessoas que admiram o meu trabalho realmente colocam em prática alguns conselhos e vão para cozinha, fazem as próprias refeições, experimentam alimentos novos etc. E também me encanto com aqueles que não têm a intenção de rever sua forma de se alimentar, mas de qualquer maneira adoram me ver cozinhando e falando sobre os alimentos”, afirma.

Produtos

Bela biografiaUma de suas bandeiras é a importância de levar comida, produtos de qualidade e sustentáveis para o dia a dia de todos. Assim, uniu-se a parceiros com o mesmo ideal e assina uma linha de produtos orgânicos com a Mãe Terra® da Unilever®; o brownie orgânico com o Brownie do Luiz®; um azeite orgânico com a Andorinha® (Edição Especial Criações do Brasil Bela Gil); e um sabão vegano em pasta, com óleo de coco de babaçu com a BioWash®. Também já colocou seu nome em um melado de cana orgânico com a Monama®.
Luiz Quinderé, fundador e proprietário do Brownie do Luiz, conta a Food Service News que se uniu à Bela Gil para trazer ao cliente um brownie totalmente diferente: feito com ingredientes orgânicos e veganos, sem glúten e sem lactose, criados de forma sustentável e, claro, com muito amor, como gosta de expressar.
“Essa parceria é uma das que eu tenho mais orgulho aqui na empresa. Sou fã e gosto muito da Bela. Ela é maravilhosa como pessoa e como profissional. Ela faz um trabalho louvável, sendo referência da alimentação saudável e de produtos orgânicos no Brasil. Em minha opinião, a maior referência que tem na atualidade no que tange a produtos saudáveis. O interessante que essa parceria fez nossa empresa mudar o processo de produção dos brownies por Bela Gil. Nenhum insumo utilizado para esse produto é igual aos dos nossos brownies tradicionais, como o açúcar, a farinha, o achocolatado… Eu tive uma linha de fornecedores grande e diferente dos habituais. Em nenhum dos nossos produtos de linha tive que mudar tantas coisas tamanha a importância de se produzir organicamente. Tivemos aqui na fábrica até uma auditoria dos órgãos regulamentadores desse setor de orgânicos. Foi necessário mudar processos internos de limpeza – do tipo de material para limpar os equipamentos. Foi feito um checklist feito por esses órgãos de que tudo estava sendo produzido corretamente por nós. Portanto, é um produto que tenho muito orgulho de produzi-lo aqui no Brownie do Luiz. Devido à pandemia, a produção desse brownie por Bela Gil está pausada, mas o produto será relançado no início de outubro deste ano”.
Em parceria também com a Morada da Floresta®, Bela Gil tem uma coleção de fraldas de pano, ecoabsorventes de pano e um miniberço de papelão chamado de “Bela Baby Box”. Com a Koriu®, assina uma linha de calcinhas absorventes e uma coleção com a marca carioca de roupas Cantão®.

Segmento de alimentação

Bela biografiaE qual é o papel da chef no segmento da alimentação nacional? Bela responde: “É o de valorizar o trabalho dos produtores que faz o alimento chegar até a nossa cozinha. Incentivar e mostrar a importância dos alimentos orgânicos e agroecológicos para a cadeia de alimentos. E desvendar um Brasil até então desconhecido para muitos através das hortaliças tradicionais (ou plantas alimentícias não convencionais) e dos alimentos da nossa biodiversidade”.
Sobre influenciar pessoas a preparem seus pratos sugeridos e consumirem produtos que levam seu nome e conceito, Bela considera que esses consumidores têm, sim, uma boa influência diante de suas formas de se alimentarem e de utilizarem melhores recursos no dia a dia.
“Espero proporcionar uma experiência gastronômica simples, porém, completa, que faz o consumidor entender a importância de valorizar os produtores e agricultores assim como as técnicas de preparo”.
Para Bela, o mercado de alimentação mundial tem mudado muito, e ela acredita que irá mudar ainda mais, ampliando a oferta de alimentos menos processados e da chamada comida de verdade. “Vemos uma grande apropriação da indústria sobre os nomes e conceitos”, destaca.
A chef também dá dicas para consumidores com maus hábitos de alimentação mudarem sua dieta muitas vezes nociva à saúde própria e ao meio ambiente.
“Primeiro, comece realmente a mudar! Acho que no dia a dia, se a gente conseguir fazer mais refeições completas, com comida de panela, cereais, feijões, vegetais, saladas já é um bom começo. Não substitua a comida de panela por um saquinho de salgadinho”.
Bela salienta que, de acordo com a OMS, as doenças crônicas não transmissíveis são responsáveis por 70% das mortes por ano globalmente. E essas doenças estão relacionadas com o estilo de vida e à dieta do indivíduo, consequentemente, uma mudança na alimentação poderia reduzir o número dessas mortes.
“O excesso de sal, gordura e açúcar na dieta pode causar câncer, diabetes, doenças cardiovasculares, entre outras enfermidades. Portanto, reduzir o consumo desses alimentos/ingredientes é fundamental para a conservação da saúde”, indica.
Bela, abordando sobre vegetarianismo e veganismo, avalia ser fundamental para o mundo avançar na luta contra o aquecimento global.
“Ele é gigante e muitas vezes invisível ou inacreditável para muitos. Mas é inegável que ele é real e está ameaçando a nossa sobrevivência. A agricultura animal é a principal causa do desmatamento no mundo. No Brasil, 90% do desmatamento na Floresta Amazônica está relacionado à agricultura animal. De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), a pecuária é uma das principais causas da mudança climática, responsável por mais de 7 milhões de toneladas de emissões de CO2 por ano, ou 14,5% das emissões globais. Eu poderia ficar horas relatando dados e informações sobre a relação entre a agricultura animal e o aquecimento global, mas acho que todos já têm uma vaga noção da sua casualidade. Assim sendo, é necessário praticar e reduzir o consumo de produtos de origem animal, pois é a forma mais eficiente que temos para mitigar o aquecimento global. Fazemos, em média, de três a seis refeições por dia, e em cada uma delas podemos escolher mudar o rumo do nosso planeta”.
Para Bela, o risco de o consumo no país não ser mais sustentável está aí e já existe faz tempo. “Temos que agir. Mudar o sistema atual de produção, distribuição e consumo de alimentos. Precisamos nos livrar da hegemonia das monoculturas dependentes de insumos químicos. É necessária uma mudança completa para uma produção mais limpa e justa, sem venenos (agrotóxicos) e com uma melhor relação econômica com o agricultor familiar”, salienta.

Novidade

Bela biografiaA chef tem uma novidade para seus admiradores. “No final do ano, pretendo abrir meu primeiro restaurante”.
O café, que será localizado na Vila Madalena, na cidade de São Paulo, e que irá contar com cinco funcionários, terá como objetivo dar mais acesso àqueles que querem ter uma boa alimentação fora de casa.
“Fazer com que nossos clientes se (re)conectem com a cultura de diversas partes do Brasil, através dos alimentos nativos e tradicionais que farão parte do nosso cardápio. E dar a possibilidade para que possam também conservar a biodiversidade brasileira através do consumo de alimentos da nossa biodiversidade, assim, preservando áreas ameaçadas pelo desmatamento. Ou seja, é um estabelecimento que levará mais do que comida para as pessoas, e sim afeto, responsabilidade e muita cultura”, apresenta.
O café estará aberto a todos os públicos, principalmente para aqueles que se identificam com uma alimentação mais saudável, diversificada e baseada em plantas. Não serão servidas carnes e quase não terão derivados de animais – talvez algum produto com queijo artesanal feito de leite cru, por exemplo.
E quais os planos e metas para os próximos anos da Bela Gil? “Continuar a promover a boa alimentação e lutar pela democratização da alimentação saudável para todos no Brasil”, responde.

Trabalhos e premiações

Bela biografiaCom mais de 430 mil exemplares vendidos no Brasil e em Portugal, a chef dividiu seu conhecimento através da publicação de livros. Bela Cozinha – As receitas (2014) – foi best seller no ano de 2014-2015, além de ter proporcionado à autora o prêmio na categoria de melhor livro de culinária brasileira de autor estreante, pela Gourmand International Awards.
Bela Cozinha 2 (2015) – foi best seller no ano de 2016 e foi premiado como melhor livro de fotografia de culinária brasileira em 2015. Em 2017, o livro foi lançado em Portugal.
Bela Cozinha – Ingredientes do Brasil (2016) – foi indicado para o prêmio Jabuti na categoria gastronomia no ano de 2017.
Bela Maternidade (2018) – a autora fala sobre sua experiência com a maternidade de seus dois filhos.
Bela Cozinha – Da raiz à flor (2019) – a autora ensina receitas que evitam o desperdício dos alimentos.
Seu ativismo pela busca da alimentação saudável e consciente se dá através de diversos projetos e rendeu à Bela Gil o prêmio Cariocas do Ano em 2015, da revista Veja Rio.
Em 2016, recebeu a Medalha da Ordem ao Mérito da Gastronomia. Em 2018, foi concedida a Medalha do Mérito 2 de Julho, pelo expoente que se tornou em defesa da Agroecologia e pelo seu engajamento com as questões sociais.
Bela também dedica seu tempo como conselheira à ONG Gastromotiva. Essa iniciativa é do chef David Hertz, do Instituto ATA, do chef Alex Atala, entre outros.
À frente do Bela Infância, ensina crianças e merendeiras de escolas públicas e particulares de todo o Brasil a ter uma alimentação consciente, ao implementar receitas mais saudáveis. Assim, combate a desnutrição e a obesidade infantil, palestrando às crianças e aos seus pais sobre o que é uma alimentação verdadeiramente saudável.
Em 2018, Bela Gil foi convida pela Sociedade Vegetariana Brasileira e pela prefeitura de São Paulo para ajudar na formulação do Cardápio Escolar Sustentável. Disponibilizando um cardápio com receitas vegetarianas para todas as creches e escolas da rede pública de São Paulo. Assim, são mais de 2,2 milhões de crianças atendidas por dia.
A filha de Flora e Gilberto Gil é a mãe de Flor e Nino e é casada com João Paulo Demasi. Além de ministrar aulas de culinária e palestras por todo o mundo, também apoia diversos projetos sociais.

BELA GIL
http://www.belagil.com / Instagram: @belagil

O post Bela biografia apareceu primeiro em Revista Food Service News.

publicado originalmente emRevista Food Service News https://ift.tt/35rKYvN

Taças: do sucesso das doces ao êxito das salgadas

Produtos, que têm a criatividade como ponto de partida, são pedidos por clientes de norte a sul do País

Taças: do sucesso das doces ao êxito das salgadas
“As taças salgadas foram lançadas a pedidos dos nossos clientes, após as mais de 30 taças doces criadas por mim”, diz Jaque Alves, do Frida Bistro

A criatividade no mundo do food service não tem limite. Falar sobre alimentação é mergulhar em uma riqueza gastronômica sem fim. Desde os primórdios dos tempos até os dias atuais, a humanidade sempre teve a necessidade básica de se alimentar. Ao longo da história foram surgindo ideias e aperfeiçoamentos na forma de se alimentar. Com isso, a gastronomia do passado foi ganhando um formato que é utilizado até hoje em todo o mundo. Muito do que se aprendeu antes continua atualmente. A culinária criativa de diversos países se tornou referência mundial, como a do Brasil, China, França, Japão, Estados Unidos, entre outras. Ser criativo na cozinha na criação de pratos é o tema desta matéria.
Um dos pratos relativamente mais recentes que ganharam destaque e o paladar dos consumidores no Brasil foram as denominadas taças doces.
Essas taças doces nada mais são que grandes taças de vidro, como as tradicionais de sorvete tipo sundae e milk-shake, só que em tamanhos maiores, lambuzadas por fora e por dentro de caldas, chocolates e todo tipo de doces e guloseimas possíveis. Para se comer de colher, a evidência dessas taças está na parte exterior do vidro que forma uma aparência quase que artística pela beleza que lhe é peculiar.
Porém, a inovação não para por aí. Após esse sucesso das taças doces, a versão salgada também ganha espaço nesses estabelecimentos que investiram nesse tipo de cardápio. A ideia é a mesma só que, dessa vez, são os ingredientes salgados que tomam conta de toda a taça.
Diversos tipos de queijos cremosos ornamentam o vidro harmonizando com salgadinhos, nachos, bacon, calabresa, frango, cebolas empanadas e caramelizadas, e o que mais a criatividade e o gosto do cliente mandar. A partir daí nasceu mais um tipo de prato que vem conquistando e surpreendendo diversos consumidores ao redor do país.
Acreditando nisso, o Frida Bistro investiu nas taças salgadas como grande aposta do seu cardápio, depois do sucesso que teve das taças doces.
“As taças salgadas foram lançadas a pedidos dos nossos clientes, após as mais de 30 taças doces criadas por mim. A diferença desse tipo de prato é a apresentação inovadora que causa impacto e surpresa no cliente”, apresenta Jaque Alves Fernandes de Souza, sócia e chef pâtisserie do Frida.
E tem para todo tipo de gosto. “Temos a taça mexicana, que é composta pelos clássicos mexicanos, como o sour cream, guacamole e chilli. Trabalhamos com uma gastronomia contemporânea internacional, com pratos à la carte, onde a confeitaria se destaca com sobremesas de encher os olhos e o paladar”, salienta a chef.
No Frida não há perfil específico de público para degustar essas taças salgadas. “Buscamos oferecer o melhor custo-benefício para todos os públicos”.
Para Jaque, é indubitável valer a experiência do cliente presenciar um prato com uma apresentação inovadora e diferente – com uma excelente qualidade dos produtos presentes.
“Além disso, os fatores equacionais do custo-benefício são atraentes para os amantes da gastronomia”, complementa.
Apaixonada por confeitaria desde criança, Jaque largou a carreira na área da saúde, onde atuou por 10 anos, para realizar o sonho de ter um bistrô. O Cereja Flor Café Bistrô, primeiro empreendimento do setor da chef, se tornou um sucesso com os pratos e sobremesas icônicas, criados por ela mesma, atraindo muitos clientes e famosos, além de render a participação em inúmeros programas de TV em canais abertos, sendo destaque em matérias de revistas, jornais e sites.
Após quase seis anos à frente do Cereja Flor, Jaque partiu para um novo projeto, o Frida Bistro, que fica no bairro Anália Franco, na capital paulista.

Empreendedorismo

Taças: do sucesso das doces ao êxito das salgadas
Apaixonada por confeitaria desde criança, Jaque Alves largou a carreira na área da saúde, onde atuou por 10 anos, para realizar o sonho de ter um bistrô

Para os empreendedores e os que pensam em investir nesse negócio das taças doces e salgadas, normalmente servidas por bistrôs, cafés e lanchonetes em geral, a empresa Sua Franquia, com foco na captação de investidores interessados em abrir uma franquia, orienta como abrir uma lanchonete e estabelecimentos similares para ter um bom e sólido andamento do negócio conhecendo a fundo o mercado alimentício brasileiro.
Como explica a empresa, o crescimento do negócio depende de planejamento adequado e monitoramento constante, já que a concorrência é ampla. Portanto, o certo é ter um plano de negócios como se mostra a seguir.

Ponto ideal

Saber escolher o endereço da lanchonete é fundamental para obter bons resultados. É preciso estudar a região, conhecer o perfil de pessoas que podem formar a clientela e verificar se o ponto tem fácil acesso e se tem espaço adequado para recebimento de mercadorias e funcionamento da cozinha.

Público-alvo

Lanchonetes têm a vantagem de conseguir atender a um vasto perfil de clientes. Se houver a necessidade ou o interesse de focar em um público específico, essa informação deve ser bem clara e definida para que o objetivo seja alcançado.

Cardápio

A escolha do cardápio deve ir ao encontro do perfil de clientela que se espera atingir. Os lanches devem ser preparados com itens de qualidade, já que são o principal produto da lanchonete. A identidade do negócio e o tempo de preparo dos lanches também devem ser considerados na escolha do cardápio.

Treinamento

Depois de montar a equipe de funcionários, vale a pena preparar um treinamento para que o atendimento aos clientes seja padronizado, atencioso e ágil, afinal, todo mundo quer ser bem atendido. Essa é uma das melhores ferramentas de fidelização. Além disso, o treinamento ajuda a diminuir as chances de erros, como entregar o lanche que o cliente não pediu.

Limpeza

No ramo da alimentação, os cuidados com a higiene devem ser redobrados. A cozinha precisa de mais atenção ainda, seja com equipamentos, seja com os funcionários que farão a manipulação dos alimentos. Os banheiros para uso dos clientes não podem ser esquecidos e devem receber limpeza constante.

Franchising

O segmento food service vem crescendo de forma consistente, à taxa média de 14,7% ao ano, segundo dados da Abia (Associação Brasileira das Indústrias de Alimentação).
As franquias são uma boa opção para quem pensa em abrir um negócio, como uma lanchonete. Nesse sistema, o franqueador fornece ao franqueado o direito de comercialização de seus produtos e serviços, além de repassar seu conhecimento na área e auxiliar na abertura e no gerenciamento do negócio.

FRIDA BISTRO
Instagram: @criacoesdachefjaquealves
SUA FRANQUIA
http://www.suafranquia.com
ABIA (Associação Brasileira da Indústria de Alimentos)
http://www.abia.org.br

O post Taças: do sucesso das doces ao êxito das salgadas apareceu primeiro em Revista Food Service News.

publicado originalmente emRevista Food Service News https://ift.tt/3nhHoKM

Ficção x realidade

Atores e produtores falam acerca dos serviços de alimentação durante a filmagem de filmes, novelas, comerciais, entre outros

Como é a alimentação em um set de filmagem? A Food Service News conversou com profissionais da área para saber como é a alimentação deles durante as filmagens que já participaram/produziram.
Bruno Rodrigues, sócio-fundador da Artes Filmes, franquia pioneira em produção de vídeos, inicia contando que o set de gravação, geralmente, tem uma equipe grande e que vai passar muitas horas trabalhando.
“Costumam chegar bem cedo e, com isso, é necessário um café bem reforçado, com pão francês, presunto, queijo, pão de queijo, bolo, café, sucos, água, entre outros. Como trabalhamos com bastantes pessoas em um set, é importante você diversificar e colocar alimentos naturais também”, orienta.
Bruno também diz que a alimentação é o primeiro impacto que uma equipe tem ao chegar a um set, então, ela se alimentando bem, ele diz que o trabalho flui de uma maneira bem melhor. A preparação dos alimentos é feita por um produtor que fica responsável por essa logística.
“O almoço, dependendo da gravação, o produtor já deixa reservado em algum restaurante próximo, por exemplo. Pode ocorrer também que o diretor veja que a gravação está fluindo muito bem e, para não parar, solicita ao produtor que deixe preparado no set durante a gravação porções de comida rápida e leves para não ‘pesar’ ninguém”.
O sócio-fundador da Arte Filmes conta que é necessário o cardápio ser diversificado na alimentação para atender todos os públicos, “como exemplo, o pessoal de casting, que trabalham a estética, portanto bem regrados a uma boa alimentação. Os carnívoros, às vezes, acabam ficando um pouco mais tristes, pois precisamos pensar nas condições do trabalho que é pesado e a alimentação é fundamental para um bom dia de gravação”.
A compra dos itens pela produtora é feita em mercados locais. Em alguns casos que utilizam algum set externo em locais distantes. “Buscamos contratar empresas de buffet local, com isso, não temos um fornecedor específico; acaba se adaptando de acordo com a necessidade do job”, explica.

Dia a dia

Ficção x realidade
Felipe Folgosi, ator, diz que na TV, quando se grava nos estúdios, muitas emissoras têm refeitório, mas também contam com praça de alimentação, onde se encontram franquias conhecidas

“Geralmente, em cinema, a alimentação é fornecida por uma empresa de catering, em um sistema de buffet self-service com saladas, algumas variedades de pratos quentes, arroz, feijão, alguma massa, carne vermelha, carne branca e sobremesas. Alguns são mais requintados, podendo ter alguma variação como pratos árabes, japoneses, mas geralmente é a comida tradicional caseira que prevalece. De alguns anos para cá, opções vegetarianas também têm sido incluídas. Algumas vezes, a filmagem ou gravação pode começar muito cedo ou tarde da noite, logo oferecendo café da manhã ou ceia. Muitas produções contam também com uma mesa de lanche, com frutas, pães etc.”, apresenta o ator Felipe Folgosi, que entre 1993 e 2019, esteve em 23 programas de televisão para grandes emissoras como Rede Globo, Record, Bandeirantes, SBT, Universal e HBO, participou de 6 filmes no cinema, 14 peças de teatro, publicou 7 obras como autor literário e participou de 6 obras no mundo dos quadrinhos, das quais 4 foi autor e 2 roteirista.
O perfil dos frequentadores de um set de filmagem, como explica Felipe, é bem variado, desde a equipe técnica que geralmente prefere uma alimentação mais pesada, até para poder aguentar as longas horas que envolvem trabalho braçal, até o elenco, que pode estar em uma dieta mais restrita, menos ou mais calórica, dependendo do personagem que estiver representando.
No quesito vegano, as pessoas geralmente recorrem às saladas e aos legumes que sempre estão presentes, ou preferem levar sua própria alimentação. Como o ator disse, geralmente, no cinema, é o catering que fornece alimentação.
“Já na TV, quando se grava nos estúdios, muitas emissoras têm refeitório, mas também contam com praça de alimentação, onde se encontra franquias conhecidas. Quando a gravação é externa, é comum o catering, mas também a produção costuma levar a equipe para algum restaurante, geralmente uma churrascaria”. E continua: “Tive a oportunidade de fazer alguns trabalhos em Los Angeles, nos EUA, e a diferença é que além do catering, existe um food truck que qualquer pessoa da equipe pode pedir o que quiser durante toda a diária de filmagem, e uma mesa enorme de doces, frutas e salgados que não ajuda quem está tentando manter o peso…”, brinca.
Sobre ter um nutricionista em um set de filmagem, Felipe conta que no Brasil é feito individualmente, o ator ou atriz que se encarregam de contratar um profissional e levar uma comida especifica para o set. Já nos EUA, é comum o acompanhamento de um profissional, muitas vezes estando dentro do contrato que o ator deve seguir a alimentação fornecida para condizer com o perfil do personagem.

Cardápio

Leda Ramos, proprietária do Leda Ramos Eventos, que trabalha com eventos, catering, coffee break, fala que, segundo suas experiências, o tipo de alimentação fornecida dentro de um set é básico, a não ser que peçam algo em especial, mas é raro.
“O cardápio, normalmente, é café da manhã com café, suco, pães, frios e frutas. O almoço, que também pode ser janta, consiste em arroz, feijão, dois tipos de alguma proteína (tipos de carnes), um tipo de massa e salada. Quando possui vegetarianos ou veganos, nos é solicitado um prato específico para eles. O lanche da tarde geralmente é composto por sanduíches, tortas salgadas, salgadinhos, caldos etc. Quando temos a presença de atores no set, também nos é solicitado um camarim para eles com alimentação separada. E tem a manutenção que é feita durante todo o dia, com café, sucos, água, biscoitos, docinhos…”
A Leda Ramos Eventos já forneceu alimentação em produções de filmes, comerciais, clipes musicais, trabalhando para diversas produtoras das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Variação

Ficção x realidade
O ator, produtor e diretor Matheus Dias, que trabalha há 20 anos nesse ramo, conta que a alimentação de um set vai depender muito do tipo da produção

O ator, produtor e diretor Matheus Dias, que trabalha há 20 anos nesse ramo, conta que a alimentação de um set vai depender muito do tipo da produção, se é grande ou pequena.
“Geralmente, em um set maior, temos refeições completas (café, almoço, janta) e no intervalo entre as principais refeições temos o que chamamos de manutenção, um lanche para aguentar e esperar as próximas cenas”.
Reforçando o que já foi mencionado, o ator diz que, comumente, o set de filmagem tem um catering, uma equipe que fica por conta de toda comida e, na grande maioria das vezes, comem o que essa equipe produz; ou o famoso marmitex quando a comida é comprada fora.
Uma dica dele: “Sempre é bom optar por algo mais saudável durante uma gravação e ter alimentos em horários intermitentes sempre que possível”.
Matheus, dentre vários trabalhos, teve participação especial e atuou na novela Segundo Sol, da Rede Globo.

Nutróloga

A Dra. Patrícia Moll, nutróloga, também contribui com seus conhecimentos para uma boa alimentação durante as gravações.
“Acredito que a alimentação deve ser a mais democrática possível, dentro das condições de espaço e estrutura do local. Hoje em dia temos pessoas com diferentes restrições como alergias, por exemplo, além de consumidores vegetarianos e veganos, e que também precisam de opções. Vale lembrar que se as opções são mais saudáveis, o resultado é positivo, no sentido de dar mais disposição para a equipe. Pessoas com alimentação equilibrada, que usam os alimentos para se nutrir e não apenas para comer, terão mais disposição, mais vitalidade e tudo vai funcionar melhor. Uma possibilidade é tentar reduzir o consumo de carboidratos refinados, que não possui tantos nutrientes. Dentro desse cenário, disponibilizar sempre uma quantidade razoável de proteína também é indicado, lembrando que essa categoria sacia mais o consumidor”.
A médica dá dicas de algumas opções de lanches que são muito comuns nas gravações: salada de fruta com granola, pasta de proteína (proteína vegetal ou animal), grão de bico, em snack como pipoca ou pastinha, carboidrato bom com nutrientes de qualidade, proteína e gorduras de boa qualidade. “Se conseguirem equilibrar as refeições, as pessoas vão conseguir ter uma vitalidade e uma disposição maior nas filmagens”, garante.

ARTES FILMES
http://www.artesfilmes.com.br
ATOR FELIPE FOLGOSI
Instagram: @felipe_folgosi
LEDA RAMOS EVENTOS
Instagram: @ledaramoseventos
Ator MATHEUS DIAS
Instagram: @mattheusator
NUTRÓLOGA Dra. PATRÍCIA MOLL
Instagram: @drapatriciamoll

O post Ficção x realidade apareceu primeiro em Revista Food Service News.

publicado originalmente emRevista Food Service News https://ift.tt/3f0SHo2

O aplicativo Yolo Club Brasília é uma ótima opção para os amantes da Gastronomia e de vinhos

Após o sucesso das edições anteriores, lançadas no formato impresso, o Yolo se renova e vem agora no formato de app, trazendo ainda mais opções, agilidade e praticidade para os seus clientes.

visto primeiro em: Gastronomia – Jornal de Brasília https://ift.tt/38F1pa9

O Melhor da Gastronomia Descolada – Episódio 1

Olá! Sejam muito bem vindos ao Melhor da Gastronomia Descolada, o programa da Vejinha em parceria com a Elo que traz para você os melhores achados de São Paulo. Sabe aquela experiência autêntica que você estava morrendo de saudade de ter? Ou aquele prato escondido no cardápio que foge do óbvio e só quem conhece de verdade pode recomendar? Está tudo aqui no programa Melhor da Gastronomia DescoladaEntre os Achados do nosso primeiro episódio estão os pães de fermentação natural e os ótimos bolos da Marie Marie Bakery, os pratos moderninhos com um toque francês do Ruella e a comida étnica japonesa do Kuro.

texto original em Comida & Bebida – VEJA SÃO PAULO https://ift.tt/3pocm5Y

Borgo Mooca serve uma deliciosa massa em forma de disco

Em uma casa com jeito de antigamente, pertinho do Clube Atlético Juventus, é possível saborear pratos de diferentes vertentes. O menu e a cozinha do Borgo Mooca são tocados pelo chef Matheus Zanchini.

Ambiente nostálgico: perto do JuventusClayton Vieira/ELO/Divulgação

Garantia de sucesso no paladar, a girelle, massa em forma de disco recheada de ricota de ovelha ao molho bisque com abóbora, é Achado ELO desse restaurante, belo !, que mantém praticamente inalterados os espaço da charmosa residência.

Borgo Mooca
Rua Comendador Roberto Ugolini, 129, Mooca, tel. 3926-0899 e 970417543

Para saber mais sobre Achados ELO, clique aqui.

Continua após a publicidade

texto original em Comida & Bebida – VEJA SÃO PAULO https://ift.tt/3lvGdab

Um estouro

De origem francesa, bomba de chocolate tem sido um dos doces mais pedidos pelas padarias do Brasil

A parte de confeitaria da gastronomia mundial é riquíssima em receitas de milhares de tipos de doces que podem ser feitos a partir de diversos ingredientes. Entre essa lista extensa de sobremesas, nacionais ou internacionais, há um doce que se destaca em todo mundo: a bomba de chocolate – ou também conhecido em boa parte do globo como éclair.
De origem francesa, essa sobremesa há mais de um século conquista o paladar de milhões e milhões de pessoas que apreciam um doce de qualidade e bastante saboroso como são as características da bomba.
Mesmo sendo originado lá fora, o Brasil já conhece bem o éclair e a sua produção aqui é comum, junto a criações doces originalmente brasileiras, como o brigadeiro e o pé de moleque.
Não é incomum encontrar esse quitute em padarias, confeitarias, cafeterias e restaurantes.
Como sobremesa, após uma refeição salgada, ou até mesmo como parte de um lanche da manhã ou da tarde, a bomba já tem seu lugar de destaque na mesa do consumidor brasileiro.
Sabendo de seu sucesso, diversos estabelecimentos não perdem a oportunidade de fazê-la para agradar os seus clientes. E quanto à cobertura e o recheio das bombas? É o que a criatividade mandar dos confeiteiros.

Produto

Um estouro
A gerente industrial do Verdemar, Paula Dias, relata que o produto está consolidado e é muito procurado nas padarias do supermercado, independentemente da época

“Utilizamos a receita clássica de pâte à choux (massa de bomba). A cobertura e recheio são um blend de ganache de chocolate belga meio amargo e ao leite com creme de leite fresco. A exposição é feita na vitrine da confeitaria”, apresenta Rafael Feitosa, coordenador de Qualidade e Desenvolvimento do Empório Santa Maria.
Lá, o item é produzido diariamente, mantendo o máximo frescor. “Perfeito para uma sobremesa ou até mesmo para um café/chá da tarde”, sugere o coordenador.
No Empório, o público que solicita suas bombas é variado. Rafael afirma que é grande a procura por apreciadores da confeitaria clássica.
No estabelecimento, o éclair é feito sob uma receita clássica, sem aditivos químicos e conservantes. “Dessa forma, ganhamos maior credibilidade com os clientes”.
Na padaria do Empório Santa Maria, Rafael salienta que o cliente sempre encontrará padeiros que amam e que se orgulham do que fazem: pães com ingredientes da mais alta qualidade e produção feita no local da compra.
“Usamos em nossos pães fermento natural e farinha orgânica, porque acreditamos que a ecologia proporciona maior qualidade no cozimento e resultados mais saborosos para nossos clientes. Nossa confeitaria é clássica com uma curadoria apurada de produtos, sempre de extrema qualidade com matéria-prima de primeira – importada e nacional”.
O estabelecimento está localizado na cidade de São Paulo.

Diversificação

Um estouro
“Uma sobremesa refinada e saborosa, como é caso do éclair, apenas reforça o projeto de diversificar o mix da padaria para encantar o cliente com a variedade de opções”, diz Paula Dias, gerente industrial do Verdemar

A bomba de chocolate, também conhecida e comercializada no supermercado e padaria Verdemar como éclair, é um dos doces franceses mais saborosos, como conta Paula Dias, gerente industrial do Verdemar.
“A receita é realizada com massa de farinha de trigo, recheios cremosos e cobertura de chocolate. Por aqui, apostamos na diversificação para ampliar o interesse dos clientes, que encontra versões nos sabores de Nutella®, Prestígio, limão, amendoim, maracujá, doce de leite e muito mais”.
A gerente reitera que o produto está consolidado e é muito procurado nas padarias do supermercado, independentemente da época.
“Por ser uma sobremesa extremamente versátil, a bomba de chocolate pode ser servida no café da manhã, da tarde, ou em situações que exigem requinte, como, por exemplo, um coquetel”, acrescenta.
O éclair, por ser tão saboroso, agrada um público diversificado, porque a sobremesa faz sucesso entre crianças, adultos e idosos.
O Verdemar, de acordo com Paula, preza pela oferta de produtos gastronômicos de alta qualidade ao consumidor e dispõe de um mix variado de itens.
“Uma sobremesa refinada e saborosa, como é caso do éclair, apenas reforça o projeto de diversificar o mix da padaria para encantar o cliente com a variedade de opções”.
O Verdemar tem unidades localizadas nas cidades de Belo Horizonte e Nova Lima (MG).

História

Um estouro
Rafael Feitosa, coordenador de Qualidade e Desenvolvimento do Empório Santa Maria, afirma que é grande a procura por apreciadores da confeitaria clássica

A bomba de chocolate tem origem em Lyon, na França, país considerado berço da gastronomia mundial, e sua confeitaria é uma das mais famosas do mundo. Por terras francesas, é um dos doces mais famosos e consumidos por seus nativos – e por que não pelos milhões de turistas que passeiam por lá todo ano?
Desde o século XIX, o doce tem feito sucesso ao redor do mundo. Segundo alguns historiadores, os primeiros foram feitos pelo famoso chef francês Antonin Carême (1784-1833), considerado o “rei dos cozinheiros e o cozinheiro dos reis”, tornando-se um ícone gastronômico à época – e reverenciado nos dias de hoje também.
Por que o quitute é denominado de éclair e bomba? Tradicionalmente de formato longo e bem recheado, o nome éclair, em francês, quer dizer relâmpago. No Brasil é chamado de bomba porque, à primeira mordida, a sobremesa estoura na boca justamente por seu recheio cremoso em seu interior.
A cobertura por cima, que pode ser de chocolate ou de outro ingrediente, fica endurecida, proporcionando maior rigidez ao degustá-lo, sem que fique escorrendo. O preparo da massa leva apenas em sua composição água, manteiga, açúcar, sal, farinha de trigo e ovos.
A massa combina com vários tipos de cobertura e recheio. A cobertura pode ser de chocolate ao leite, meio amargo e amargo, de chocolate branco, de leite condensado, caramelo, doce de leite, entre outros. O ideal é que ela fique mais densa e seca por cima do doce.
Na parte do recheio, diversos tipos combinam muito bem com a massa. O próprio chocolate e suas variações, brigadeiro, leite condensado, doce de leite, Nutella®, creme de coco, cremes das mais diversas frutas como limão, morango e maracujá, churros com aquele sabor característico de açúcar, canela e doce de leite.
A arte da confeitaria francesa, respeitada mundialmente, fez do éclair um doce muito comum pela França. Originou-se, portanto, o dito francês “Et un bon éclair se dévore toujours en un éclair!” (“E uma boa bomba se devora sempre em um
relâmpago!” – em português).

EMPÓRIO SANTA MARIA
https://ift.tt/1RWbaNo
VERDEMAR
https://ift.tt/33XCexq

O post Um estouro apareceu primeiro em Revista Food Service News.

publicado originalmente emRevista Food Service News https://ift.tt/3eYVrSU

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora